30 de jun de 2012

A máscara da justiça própria - Introdução (Caim, um homem que fingiu ser um adorador)

introdução

O nosso Deus é um Deus que espera que o Seu povo, que por Ele foi chamado, lhe ofereça adoração. Ele escolheu Seus filhos “para [lhe] serem por povo, e nome, e louvor, e glória” (Jr 13.11 RA). Toda a Bíblia é repleta de convites à adoração, mas não “qualquer” adoração.

Vivemos dias de muitos “modismos” no que diz respeito a esse assunto. Temos observado a introdução de elementos que Deus nunca ordenou fossem utilizados na adoração enquanto outros, genuinamente bíblicos, têm sido substituídos e até mesmo negligenciados. Para completar, falta muitas vezes uma autoanálise criteriosa de como está o coração daquele que está “adorando” a fim de poder oferecer o melhor a Deus.

Em João capítulo 4 encontramos um belo resumo, dado por Jesus, de como é a adoração que Deus espera:

“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (João 4:24 RA, grifo meu).

Diante disso nos resta a pergunta, temos adorado a Deus como Ele espera?

O Rev. Hernandes Dias Lopes no seu livro "COM JESUS NA ESCOLA DA VIDA" - Editora Hagnos faz uma análise no primeiro capítulo acerca da maneira como Caim se aproximou de Deus e nos convida a uma reflexão sobre a possibilidade de estarmos prestando uma falsa adoração ao Senhor.

Nos próximos dias estarei postando aqui alguns trechos desse capítulo e convidando você para, juntos, aprendermos com esse personagem, a fim de que não aconteça conosco os mesmos erros.

Boa leitura…


Caim foi o primeiro filho de Adão e Eva. Ele aprendeu com os seus pais sobre a necessidade de adorar a Deus. Ele e Abel, seu irmão, receberam as mesmas instruções. Foram criados debaixo dos mesmos prin­cípios e valores. Sugaram o mesmo leite materno e cresceram sob iguais instruções. Ouviram as mesmas histórias e aprenderam as mesmas coisas sobre o cul­to que agrada a Deus. Mas o coração de Caim não era reto diante de Deus. Ele não se sujeitou aos princípios de Deus. Ele não se colocou debaixo da autoridade da Palavra de Deus. Ele quis fazer as coisas de Deus do seu próprio jeito. Quis mostrar sua própria justiça em vez de aceitar a justiça que vem de Deus. Caim fingiu ser um adorador quando, na verdade, era um competidor. Seu culto apenas escondia a máscara de justiça própria que ostentava.

Vejamos como Caim utilizou essa máscara.


Continua…

Extraído do livro "COM JESUS NA ESCOLA DA VIDA" - Editora Hagnos escrito pelo Rev. Hernandes Dias Lopes, mediante autorização.

Por Anderson Andujar.

Foi edificado? Deixe seu comentário…

*Agora você pode comentar usando sua conta do Google, Twitter, Facebook, Yahoo, OpenID ou Disqus. Experimente.