28 de set de 2011

Se Ele sabe de tudo, por que precisamos informá-lo de nossas necessidades e aborrecê-lo com orações?


Continuação das perguntas feitas no livro ‘The necessity of atheism’, de Percy Bysshe Shelley.  Leia as Partes [01] [03] [04]

Pergunta: Se Ele sabe de tudo, por que precisamos informá-lo de nossas necessidades e aborrecê-lo com orações?

Deus nos criou originalmente para mantermos uma comunhão especial com Ele e entre nós mesmos. Esta comunhão era plena antes do pecado do primeiro homem, Adão, ainda lá no Jardim do Éden. Depois da queda, o homem a perdeu contato com o Criador, e somente se Ele viesse ao nosso encontro, tal religação seria possível.

Deus Pai se aproximou do homem através de visões, de sonhos, de manifestações físicas de Sua presença, através de anjos, através dos profetas, através da Palavra escrita e através de Jesus. Em todas estas manifestações, Deus quis criar um novo relacionamento conosco; e o homem convertido, então, se comunicou com Deus. Toda e qualquer comunicação com Deus é uma forma de oração.

Orar não é, como alguns pensam, "bajular" Deus para conseguir alguma coisa. É se relacionar com o Pai Celestial. Eu não consigo imaginar como manter uma comunhão com meus pais terrenos, ou com minha esposa, por exemplo, sem conversar com eles. Eles até poderiam saber o que eu quero e o que eu gosto, mas creio que isto não substituiria um diálogo com eles sobre as minhas expectativas. A oração, portanto, é uma forma de manter o nosso relacionamento com o Senhor ativo; Deus fala através da Palavra, sinais, sonhos, visões. A medida que nossa vida espiritual se desenvolve, mais oramos. Orar não é um peso; a não ser que você se considere tão autosuficiente para achar chato qualquer necessidade de diálogo. Nós não "aborrecemos" a Deus quando oramos; é uma ordem dEle que façamos isto, segundo Filipenses 4:6-7. Ela até mesmo é uma forma de servir (Lucas 2:36-38). Orar é uma forma de dizer ao Pai que confiamos nas Suas palavras, pois muito do que pedimos está baseado naquilo que Ele mesmo nos prometeu.

Mesmo Jesus orou; e se o Filho de Deus o fez, é porque é o certo a ser feito. Deus sabe o que vamos pedir. Ele concede muito mais do que pedimos segundo a vontade dEle (1 João 5.15). Mas se não oramos, demonstramos, acima de tudo, falta de fé. Até mesmo aquela fé que crê que o Senhor estará ouvindo (1 João 5.14). E sem fé, é impossível agradar a Deus (Hebreus 11.6).

Esta série continua.

Por: Leandro Teixeira, via NAPEC