6 de jul de 2012

A máscara da justiça própria – Parte 6 (Caim, um homem que viveu de aparências)

parte 6

Essa semana estamos meditando sobre verdadeiros adoradores com base no primeiro capítulo (Caim, um homem que fingiu ser um adorador) do livro do Rev. Hernandes Dias Lopes, "COM JESUS NA ESCOLA DA VIDA" - Editora Hagnos. Nele vemos que Caim cometeu seu maior erro ao tentar se aproximar de Deus fazendo uso de sua justiça própria.

Boa leitura…


Em sexto lugar, Caim usou a máscara da justiça própria ao manter as aparências de uma amizade genuína por Abel enquanto escondia um desejo perverso no coração. Assim diz o texto bíblico: Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou (Gn 4. 8). Caim era um vulcão efervescente de ódio por dentro, mas um mar plácido e calmo por fora. Ele tinha palavras aveludadas e um coração perverso. Palavras doces e um coração amargo. Amizade nos gestos e morte nos pensamentos. Ele enganou Abel, traiu seu irmão e o matou. Assassinou não um estranho, mas o seu próprio irmão, carne da sua carne, sangue do seu sangue. Eliminou não um inimigo, mas alguém achegado. Matou não porque Abel era perverso e mau, mas porque era piedoso e bom. Matou não porque era uma ameaça à sua vida, mas porque era um exemplo digno de ser imitado.


Continua…

Extraído do livro "COM JESUS NA ESCOLA DA VIDA" - Editora Hagnos escrito pelo Rev. Hernandes Dias Lopes, mediante autorização.

Por Anderson Andujar.

Leia também:

Foi edificado? Deixe seu comentário…

*Agora você pode comentar usando sua conta do Google, Twitter, Facebook, Yahoo, OpenID ou Disqus. Experimente.